MG 7 TUPÃ

MG 7 Tupã

INDICAÇÃO

A MG 7 Tupã é uma planta forrageira para solos de média a baixa fertilidade, para solos poucos profundos e também com cascalho. É uma ótima opção para regiões mais secas. Recomendado para bovinos nas fases de cria, recria e engorda e também pode ser consumido pelos equinos. Essa cultivar apresenta fácil manejo pelo porte menor, talo mais fino, folhagem mais intensa e ciclo mais longo. O pastejo deve ocorrer quando as plantas atingirem 50 a 60 cm, até a altura de 18 a 20 cm do solo.

Propriedade dobra lotação após implantação do capim MG 12 Predão
run
SEMENTES

Propriedade dobra lotação após implantação do capim MG 12 Predão

Sítio São José l MG13 Braúna Matsuda se mantém verde na seca
run
SEMENTES

Sítio São José l MG13 Braúna Matsuda se mantém verde na seca

Conheça o novo cultivar Matsuda MG18 Áries II
run
SEMENTES

Conheça o novo cultivar Matsuda MG18 Áries II

Conheça a segunda geração do cultivar Áries, o MG18 Áries II
run
SEMENTES

Conheça a segunda geração do cultivar Áries, o MG18 Áries II


Nome científico: Andropogon gayanus

Origem: Matsuda Genética

Material protegido: Certificado n° 20150084 até 08.12.2028

Fertilidade do solo: Média a baixa

Forma de crescimento: Touceira ereta

Altura: até 2,60 m

Utilização: Pastejo direto

Digestibilidade: Boa

Palatabilidade: Boa

Tolerância à seca: Alta

Tolerância ao frio: Média a baixa

Teor de proteína na matéria seca: 7 a 10% 

Produção de forragem: 16 a 20 t/ha/ano de MS


A MG 7 Tupã é uma planta forrageira para solos de média a baixa fertilidade, para solos poucos profundos e também com cascalho. É uma ótima opção para regiões mais secas. Recomendado para bovinos nas fases de cria, recria e engorda e também pode ser consumido pelos equinos. Essa cultivar apresenta fácil manejo pelo porte menor, talo mais fino, folhagem mais intensa e ciclo mais longo. O pastejo deve ocorrer quando as plantas atingirem 50 a 60 cm, até a altura de 18 a 20 cm do solo.

ORIGEM


Matsuda Genética O trabalho de cruzamento de diversos acessos de Andropogon iniciou-se em 2004 (trata-se de uma população híbrida obtida pelo método de policross). Esses materiais vieram do germoplasma da Matsuda Genética. Em seguida o processo foi de seleção de plantas com características superiores desejáveis como a maior produção de forragem, melhor qualidade nutricional, porte mais baixo e plantas de ciclo mais tardio. Os testes de distinguibilidade, de homogeneidade e de estabilidade foram feitos em 2010 e 2011.


CARACTERÍSTICAS  MORFOLÓGICAS

Trata-se de uma gramínea tetraplóide de ciclo perene, forma touceira com vários perfilhos, planta de porte médio, colmo com 0,47 cm de diâmetro, folha com 90 cm de comprimento e 3,0 cm de largura, de 12 coloração verde e média pilosidade. O ciclo de florescimento é de aproximadamente 110 dias.




DESCRIÇÃO DA PLANTA


Trata-se de uma gramínea tetraplóide de ciclo perene, forma touceira com vários perfilhos, planta de porte médio, colmo com 0,47 cm de diâmetro, folha com 90 cm de comprimento e 3,0 cm de largura, de coloração verde e média pilosidade. O ciclo de florescimento é de aproximadamente 110 dias.




RECOMENDAÇÕES DE USO


A MG 7 Tupã é uma planta forrageira para solos de média a baixa fertilidade, para solos poucos profundos e também com cascalho. É uma ótima opção para regiões mais secas. Recomendado para bovinos nas fases de cria, recria e engorda e também pode ser consumido pelos equinos.



Essa cultivar apresenta fácil manejo pelo porte menor, talo mais fino, folhagem mais intensa e ciclo mais longo. O pastejo deve ocorrer quando as plantas atingirem 50 a 60 cm, até a altura de 18 a 20 cm do solo.


CICLO MAIS TARDIO


O ciclo mais tardio faz com que a planta demore mais o seu florescimento, mantendo por mais tempo o seu ciclo vegetativo, ou seja, o período em que a planta mais cresce, mais produz forragem e mantém por mais tempo a qualidade nutricional.