MG 13 BRAÚNA

MG 13 Braúna

INDICAÇÃO

Recomendada para bovinos nas fases de cria, recria e engorda. Não é recomendada para equinos. O crescimento mais prostrado de sua touceira (decumbente), seus talos mais finos e boa rebrota, facilitam o manejo desta gramínea, além do bom fechamento do solo. O pastejo deve ocorrer em plantas com altura em torno de 60 cm e não mais que 28 dias de descanso, no período chuvoso. O pastejo deve ocorrer até 18 cm do solo.


Nome científico: Brachiaria brizantha

sinonímia: Urochloa brizantha 

Origem: Genética Matsuda

Material protegido: Certificado n° 20150088 até 18.12.2029        

Recomendações de solo: para solos de média a alta fertilidade, não tolera solo mal drenado

Produção de forragem: 8 a 12 t/ha/ano de matéria seca (M.S.)

Forma de crescimento: Touceira decumbente

Altura: 0,9 m

Utilização: para pastejo direto ou fenação

Digestibilidade "in vitro": 54 a 53%

Palatabilidade: Boa

Tolerância à seca: Excelente    

Tolerância ao frio: Média

Teor de proteína na M.S.: 8 a 12%

Profundidade de plantio: 0,5 a 1,0cm

Ciclo vegetativo: Perene

Recomendada para bovinos nas fases de cria, recria e engorda. Não é recomendada para equinos. O crescimento mais prostrado de sua touceira (decumbente), seus talos mais finos e boa rebrota, facilitam o manejo desta gramínea, além do bom fechamento do solo. O pastejo deve ocorrer em plantas com altura em torno de 60 cm e não mais que 28 dias de descanso, no período chuvoso. O pastejo deve ocorrer até 18 cm do solo.

MAIS INFORMAÇÕES


A cultivar MG13 Braúna, segundo o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento, é uma cultivar de Brachiaria brizantha de rápida rebrota, com boa produção de forragem, bem distribuída e boa qualidade nutricional. Apresenta ainda melhor adaptação à seca e ao ve-ranico quando comparada à MG-4.


Seu hábito de crescimento mais prostrado proporciona melhor cobertura do solo. Recomenda-se seu uso para as fases de cria, recria e engorda, não recomendada para e-quídeos.


Esta cultivar perene apresenta crescimento decumbente, recomendada para solos de média a alta fertilidade com excelente tolerância a solos arenosos, possui intenso perfilhamento e boa relação folha-talo, com perfilhos finos, característica que permite facilidade de manejo e aceitabilidade pelos animais. Isso permite ainda a utilização para produção de feno.


Outra aplicação importante da Braúna é a utilização no mercado agrícola para a formação de palhada, devido ao seu crescimento mais prostrado, talos finos e susceptibilidade ao glifosato, semelhante à Brachiaria ruziziensis, podendo ser utilizada também no sistema de integração Lavoura-Pecuária (iLP).


ORIGEM

Material originário da Matsuda Genética, que foi multiplicado à partir de 2004 para os inícios dos trabalhos de seleção e avaliação. Depois de obter as melhores plantas, a seleção definitiva ocorreu entre 2006 a 2010.


CARACTERÍSTICAS AGRÔNOMICAS

Planta de crescimento decumbente, touceira bem aberta fechando bem o solo, talos extremamente finos, boa recuperação após o pastejo, folhas finas e intenso perfilhamento basal.


CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS

É uma gramínea de ciclo perene, tetraploide, de crescimento em touceira decumbente, não apresenta estolões, de porte médio com plantas em torno de 90 cm de altura, a bainha da folha não apresenta pilosidade, lâmina foliar lanceolada e glabra, boa produtora de sementes, com inflorescência em forma de espigueta unisseriada, com estigma arroxeado e pouco racemo.

A ráquis em formato triangular.