ATLAS

Atlas

INDICAÇÃO

Recomenda-se para bovinos em fase de cria e engorda, também para equinos, caprinos e ovinos. Devido à tolerância ao alumínio do solo, desenvolve bem o seu sistema radicular, conferindo a cultivar uma ótima rebrota e boa adaptação na seca. Em sistema rotacionado de pastejo é recomendado de 1 a 5 dias de pastejo e intervalo de descanso de 28 a 35 dias e no período seco este período de descanso pode se estender para 45 a 50 dias. Pasto vedado por muito tempo, principalmente no período chuvoso, a forragem se torna madura, lignificada, perdendo a qualidade nutricional e a aceitação pelos animais. A touceira do Atlas aumenta de diâmetro após os cortes ou pastejo, pois aumenta o número de perfilhos e isso é mais facilmente observado nesta cultivar.

CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA

Família
Poaceae
Gênero
Panicum
Espécie
maximum
Cultivar
Atlas
Nome Comum
Atlas
Propriedade dobra lotação após implantação do capim MG 12 Predão
run
SEMENTES

Propriedade dobra lotação após implantação do capim MG 12 Predão

Sítio São José l MG13 Braúna Matsuda se mantém verde na seca
run
SEMENTES

Sítio São José l MG13 Braúna Matsuda se mantém verde na seca

Conheça o novo cultivar Matsuda MG18 Áries II
run
SEMENTES

Conheça o novo cultivar Matsuda MG18 Áries II

Conheça a segunda geração do cultivar Áries, o MG18 Áries II
run
SEMENTES

Conheça a segunda geração do cultivar Áries, o MG18 Áries II

Origem: Materiais africanos, cruzadose selecionados pela Matsuda

Nome comum: Atlas

Nome científico: Panicum maximum 

sinonímia: Megathyrsus maximus

Cultivar: Atlas

Registro no SNPC/MAPA nº: 16057

Cultivar Protegido sob o no : 21806.000673/2003-15 em 26/05/2003

Certificado de Proteção nº: 00499

Fertilidade do solo: Alta

Forma de crescimento: Cespitoso e semi-prostrado

Altura: De 1,5m a 2,0m

Utilização: Para pastejo direto, silagem e feno

Digestibilidade: Alta (65 a70% "in virtro")

Palatabilidade: Muito boa

Precipitação pluviométrica: Acima de 800 mm anuais

Tolerância à seca: Muito boa

Tolerância ao frio: Boa

Teor de proteína na M.S.: 10 a 12%

Profundidade de plantio: 1 a 2 cm

Ciclo vegetativo: Perene

Produção de forragem: 20 a 22 t/ha/ano de matéria seca (M.S.)

Solos úmidos: Baixa tolerância

Consorciação: Todas as leguminosas

UTILIZAÇÃO E MANEJO


Recomenda-se para bovinos em fase de cria e engorda, também para equinos, caprinos e ovinos. Devido à tolerância ao alumínio do solo, desenvolve bem o seu sistema radicular, conferindo a cultivar uma ótima rebrota e boa adaptação na seca.

Em sistema rotacionado de pastejo é recomendado de 1 a 5 dias de pastejo e intervalo de descanso de 28 a 35 dias e no período seco este período de descanso pode se estender para 45 a 50 dias. Pasto vedado por muito tempo, principalmente no período chuvoso, a forragem se torna madura, lignificada, perdendo a qualidade nutricional e a aceitação pelos animais.

A touceira do Atlas aumenta de diâmetro após os cortes ou pastejo, pois aumenta o número de perfilhos e isso é mais facilmente observado nesta cultivar.

O quadro abaixo mostra um ensaio, realizado em 2001/2002, na fazenda MG em Mirante do Paranapanema-SP, região de Cerrado, Latossolo Vermelho Amarelo, com novilhas para se verificar o ganho de peso.


QUANTIDADE DE SEMENTES NO PLANTIO


Para o cálculo da quantidade desta semente no plantio recomendamos o uso do quadro de Fatores para Panicum maximum  abaixo e a fórmula:


FATOR  = kg/ha de sementes

   VC




As condições de plantio referem-se ao preparo de solo, as condições climáticas da região (chuva, temperatura do solo e luminosidade), se o solo foi corrigido (calagem) e fertilizado, se há problemas com insetos (formigas, cupins, grilos, gafanhotos, lagartas, cigarrinhas, etc), se há problemas com a infestação de ervas daninhas, etc.

  Estas informações deverão ser obtidas com o proprietário ou o administrador, pois são estas pessoas que conhecem melhor a região, para recomendarmos a quantidade necessária de sementes no plantio, assim como a forma em que será plantada. Por exemplo: condições ideais de plantio, utilizando-se uma distribuidora de calcário e sementes com VC de 25%.


FATOR =  200  = 8,0 kg/ha de sementes de VC 25%

 VC           25

ORIGEM


A cultivar híbrida de forrageira Atlas é oriunda de cruzamento artificial, realizado em 1993, em casa-de-vegetação pela Matsuda, cruzando fêmea sexual de Tobiatã com K-68, acesso originário da Costa do Marfim/África, que nunca chegou a ser um cultivar comercial.

Em 1994 foi realizada a seleção de genótipos superiores, em progênies segregante para apomoxia e sexualidade e no ano seguinte o teste de progênies para separação de progênies para separação de híbridos F1 apomíticos dos híbridos F1 sexuais.

Nos anos de 1998 e 1999 foi avaliada a resistência deste híbrido quanto à resistência ao alumínio (presente em solos ácidos) tanto em condições de laboratório (em soluções nutritivas) como de campo (em solos comprovadamente ácidos com presença de alumínio).

Os dois anos seguintes, o cultivar foi avaliado em testes com animais verificando a capacidade de suporte, resistência ao pisoteio, potencial de rebrota, persistência, tolerância à seca, potencial de produção de sementes, etc.


CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS


É uma planta cespitosa de ciclo perene, com altura entre 1,5 a 2,0 m, alto perfilhamento basal, colmo de diâmetro médio, comprimento do internódio curto, colmo com pouca cerosidade, folha apresentando pouca pilosidade na bainha, comprimento da lâmina também médio e de coloração verdeclara.

O ciclo de florescimento é médio, com período definido para florescer (florescimento determinado)


CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS


É uma espécie forrageira exigente em fertilidade do solo, cuja principal característica é a sua tolerância à acidez de alumínio, presente no solo