LLANERO

INDICAÇÃO

O valor nutritivo do cultivar Llanero pode ser considerado como moderado a pobre (4 a 7% de Proteína). Em pastagens associadas com Arachis pintoi, foram obtidos ganhos de peso vivo por animal por ano de 124 a 183 kg e ganhos por hectare variando de 267 a 540 kg de peso vivo.

CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA

Família
Poaceae
Gênero
Brachiaria
Espécie
humidícola
Cultivar
Llanero (ex-dictyoneura)
Nome Comum
Llanero
SEMENTES

Dicas de plantio

SEMENTES

Dia de Campo - Coopermota

SEMENTES

Vantagens da MG13 Braúna

SEMENTES

MG12 Paredão Faz. Santa Clara do Timbé


Nome científico: Brachiaria humidicola (Rendle.) Schweickerdt.

Cultivar: Llanero (CIAT 6133, CPAC 3139, BRA 001449)

Fertilidade do solo: Baixa a média

Forma de crescimento: Planta estolonífera

Altura: Até 1,0m

Utilização: Pastejo direto e fenação

Digestibilidade: Boa

Palatabilidade: Boa

Precipitação pluviométrica: Acima de 700 mm anuais

Tolerância à seca: Boa

Tolerância ao frio: Média

Teor de proteína: 4 a 7% na MS (Matéria Seca)

Profundidade de plantio: 1 a 2 cm

Ciclo vegetativo: Perene

Produção de forragens: 8 a 10 t/ha/ano de matéria seca

Cigarrinha das pastagens: Tolerante

Solos úmidos: Média tolerância

Consorciação: Arachis pintoi, Puerária e Java

UTILIZAÇÃO E MANEJO


O valor nutritivo do cultivar Llanero pode ser considerado como moderado a pobre (4 a 7% de Proteína). Em pastagens associadas com Arachis pintoi, foram obtidos ganhos de peso vivo por animal por ano de 124 a 183 kg e ganhos por hectare variando de 267 a 540 kg de peso vivo.

        No desenvolvimento inicial deste pasto, assim como a humidícola, o primeiro pastejo deve ser efetuado de forma suave para estimular o perfilhamento e o enraizamento dos estolões. A dictyoneura sofre do mesmo problema que a humidícola e perde a qualidade nutricional mais rapidamente que outras braquiárias se deixarmos ela amadurecer. Recomendamos utilizar altas cargas animais ou maior freqüência de pastejo, pois desta maneira os animais patejam uma forragem mais tenra e de melhor qualidade nutricional e de melhor digestibilidade. 

        Em solos ácidos, arenosos e pobres em fertilidade, este cultivar é uma das melhores opções de pastagem para eqüinos, ovinos e caprinos.

QUANTIDADE DE  SEMENTES NO PLANTIO


Para o cálculo da quantidade desta semente no plantio recomendamos o uso do quadro de Fatores para Brachiaria sp. abaixo e a fórmula:


FATOR  = kg/ha de sementes

   VC




As condições de plantio referem-se ao preparo de solo, as condições climáticas da região (chuva, temperatura do solo e luminosidade), se o solo foi corrigido (calagem) e fertilizado, se há problemas com insetos (formigas, cupins, grilos, gafanhotos, lagartas, cigarrinhas, etc), se há problemas com a infestação de ervas daninhas, etc.


Estas informações deverão ser obtidas com o proprietário ou o administrador, pois são estas pessoas que conhecem melhor a região, para recomendarmos a quantidade necessária de sementes no plantio, assim como a forma em que será plantada. Por exemplo: condições médias de plantio, utilizando-se uma distribuidora de calcário e sementes com VC de 25%.


FATOR =  340  = 13,6 kg/ha de sementes de VC 25%

  VC          25

ORIGEM


Este cultivar foi liberado comercialmente na Colômbia pelo ICA (Instituto Colombiano Agropecuário) em 1987, cujas sementes (CPI 59610) vieram do Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation (CSIRO) da Austrália, que foi introduzido pelo CIAT em 1978 sob o no CIAT 6133.

A ex-dictyoneura foi coletado originalmente no Zimbabwe (ex-Zâmbia) em 1971. Atualmente é comercializada em todo o Brasil e na América Latina.


CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS


Gramínea de ciclo perene, semi-ereta a prostrada, estolonífera e rizomatosa, de 40 a 90cm de altura, estolões compridos de cor púrpura com pilosidade de cor branca, folhas lanceoladas de 4 a 6cm de comprimento e 0,8cm de largura, raízes adventícias superficiais.


As folhas são lineares lanceoladas, eretas, glabras, de cor púrpura, com uma das bordas denticuladas. Os talos e as nervuras das folhas são verdes com manchas púrpuras. A inflorescência é uma panícula com três ou quatro racemos de 4 a 6cm de comprimento, cada um com 10 a 22 espiguetas alternas, sobre uma raque de cor púrpura  verde em forma de ziguezague.



CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS


Adapta-se bem a solos ácidos e de baixa fertilidade, é tolerante a seca e se recupera bem depois de queimadas. Tem boa tolerância a cigarrinha-das-pastagens, boa capacidade de rebrota e boa palatabilidade. Ataques esporádicos de cigarrinha podem ocorrer, principalmente em áreas manejadas com baixas lotações de animais, sendo que a pastagem normalmente se recupera satisfatoriamente. 

 

As sementes deste cultivar apresentam dormência, chegando, inclusive, a até um ano depois de colhidas. Recomenda-se deixar a semente exposta, durante pelo menos um dia todo, espalhado a pleno sol sobre uma lona preta ou um terreiro, remexendo a cada hora com os pés, para que o aquecimento seja uniforme. Este aquecimento da semente, que pode alcançar até 50oC, auxilia na quebra da dormência.   

A dormência pode acarretar problemas durante o estabelecimento da pastagem, pois como a semente demora a germinar (mesmo em condições normais de temperatura, luminosidade e umidade), sementes de ervas daninhas e a vegetação nativa germinam primeiro e "domina" a área de plantio. Isto provoca o sombreamento do solo que não recebe mais luz e se torna frio, afetando ainda mais a germinação das sementes da dictyoneura. Se isto ocorrer deve proceder a roçada da área.

A recomendação para evitar este problema, além do aquecimento das sementes de dictyoneura, é semeá-la associada, com 15% da dosagem normal, com ruziziensis ou outra braquiária. Outra opção é misturar com 5kg/ha (no máximo) de sementes de milheto. Este cultivar pode ser consorciado com Pueraria phaseoloides , Macrotyloma axillare (Java) e Arachis pintoi.

Topo